segunda-feira, 23 de abril de 2018

Outro lado da linha

Numa noite chuvosa
A gente se enrola
Onda frenética
De contrações maravilhosas
Roça corpo
Morde boca
Molha dedo
Sujeitos suspeito
Do outro lado da linha

domingo, 8 de abril de 2018

AFETO

Quero ser córrego pequeno que refresca os pés quando o sol doura a pele depois da caminhada
Quero ser água forte que abre e limpa caminho de desassossego doído no peito
Quero ser rio profundo que espelha quem chega perto
E convida para deixar de lado o medo de ser profunda
Quero ser atalho de afeto

LULA LIVRE

Eu defendo Lula e isso não tem nada a ver com ser petista. Tenho muitas amigas que encontraram na luta partidária diversas estratégias de transformações sociais, as celebro imensamente, assim como posso crítica-las sem deslegitimar seus caminhos de enfrentamento.
Ser um sujeito político tem a ver com ser crítico e lúcido diante da conjuntura que estamos imersos.
Defender Lula é defender o fiasco de dignidade que nos resta no estado de GOLPE que nos encontramos.
Nunca escutei um áudio do mesmo mandando matar alguém ou falando escancaradamente de sistemas de propinas e corrupção. Nunca existiu conta descoberta na Suíça, não roubou, nem recebeu dólares em paraísos fiscais.
A Casa Grande nunca aceitará um homem do povo, nordestino e sem estudos formais ter alavancado a vida de milhares de mulheres e homens que vieram de realidades que se assemelham a sua.
Os programas sociais criados por Lula, como o Fome Zero e o Bolsa Família, retiraram da pobreza extrema mais de 30 milhões de pessoas, e são exemplos de sucesso reconhecidos mundialmente pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e pelo Banco Mundial e por essas e outras Lula é indicado ao Prêmio Nobel de Paz!
Não há vida democrática coletiva sem divergências, mas saber de que lado sambamos é imprescindível num momento de retrocesso o qual nunca pensei que minha geração fosse passar.
Impedimento sem crime, acidente sem causa, condenação sem provas, execução sem disfarces!
O que está em plano neste país é algo muito sério.

segunda-feira, 26 de março de 2018

Recife

a luz da cidade é também
os becos lamacentos
o saneamento que deveria ser básico
o mangue que resiste
o dinheiro que não chega
os prédios que tentam engolir o mar 
os que moram em bolhas brancas
tambores silenciosos mandam recado
maracatus lembram a historia que não nos contam
vibram os caboclinhos
carijós tupinambás
baque solto baque virado
macumba de verdade
quilombos de cores
nossos orixás

Taila

Taila de olhos abertos, doces, honestos
Sua voz, seu protesto
Seu corpo desparafusa o que nunca teve nexo
Deslumbra as curvas dos caminhos abertos
Mulher luta na mesma dança
Herança
De quem é protegida pelos que tem sede de vingança
Vingança é malandragem
E malandragem é estar viva
Sem enlouquecer no cotidiano
Desfaz engano, vira puro acalanto
Mergulho no fundo oceano
Das águas que te lavam
E te devolvem pra si mesma

Sujeito ainda oculto

Cuidado:
Tá pra nascer ômi que vai me colocar contra uma mulher 
Por conta do seu ego frágil
Cuidado: Seu jogo "bem-me quer" tá zerado
Cuidado: que quem gosta de expor
Um dia em seu deleite azedo será revelado
Pequenos animais em seus habitats naturais
Gostam de contar vantagens
Lá vem você com essa papo de "fora patriarcado!"
É que a gente tem cada vez menos paciência
Pra sua postura de bom moço, é até afeminado
Sabe que eu não mando recado
Mas só queria lhe dizer:
O que é seu já tá guardado
Não sou eu que vai lhe dá

sábado, 24 de março de 2018

Junto

Goza junto comigo olhando no meu olho 
Respira alto seu desejo sem medo
Arrepia do cóccxi até o pescoço
Arranha, aperta, desmorona
O dia raiou no acalanto úmido 
que te deixei fazer morada
Bom dia 
Logo vem uma outra madrugada