quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Espairecer




Parece que os dias estão passando sem mim
Passando por mim
Passando em mim

Parece que o tempo passa arrastado
Passando por mim
Passando em mim

É, parece que as coisas continuam a acontecer sem mim
Passando por mim
Passando em mim

É, preciso espairecer um pouco mais

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Desejo




Seus olhos tão meigos gritam por um desejo
Gritam pelo anseio de viver junto a mim

Sua boca tão macia olha a minha
Olha meu desejo em dentes e saliva

Suas mãos sentem meu cheiro
Arrepiam meus pêlos

Aspiram pelos nossos desejos

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Não importa mais




Só quero ir embora
Deixar tudo adormecido
Sarar as feridas que parecem nunca deixarem de ficar profundas
Você não percebe que tentando não se importar, dói mais
Eu também vou fingir com você

Não há mais nada a se fazer
O tempo não é algo que se possa voltar atrás
Seus erros persistem em me acordar a noite
As lembranças se misturam com meus sonhos
As vezes os tornam pesadelos
Mas você tenta não se importar porque acha que eu não me importo com você
Eu também vou fingir com você

Mas do que adianta escrever versos que você continuará a não entender ?
Agora só quero ir embora
Agora só quero deixar tudo adormecido

E quem sabe possa deixar alguém sorrir por mim
Mesmo que continue sendo fingimento

Não importa mais
Simplesmente não importa

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Se veja






Não, você não acha isso de mim
Lembra-se de quando você se viu só, eu fui lhe dá o que não tinha preço?
Fui lhe dar o que não te curou
Mas sempre soube que eu lhe dei algo bom

Lembra-se que a gente não tinha palavras pra descrever o que era esse algo bom?
Você sem querer me conheceu
Você não sabe falar de mim, mas sabe quem eu sou
Sabe porque eu te dei um pouco de mim, naqueles dias que pareciam nublados
E seus amigos pareciam não te entender

É, eu estava bem ali
Guardei sua carta, guardei seu sorriso

Será que você guardou algo e agora quer jogar fora?
Não te culpo por não saber falar
Muito menos me culpo

Não mais te vejo, mas também não te desejo mal algum
Espero que alguém possa sempre te ver e não só te olhar
Você tem que perceber que olhar e ser olhado
Nunca será o suficiente pra ninguém

Veja o que você faz, veja quem você tem
Se veja

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Pobres meninos




Se um cara tem três garotas ele é considerado um garanhão
Eu não entendo como isso seja certo
A garota sempre fica com a fama
Ele pode enganá-las e usá-las como quiser

Mas vai ver o que acontece se uma menina faz isso...
Provavelmente é tirada como a vagaba

Meninos tão preocupados com a massagem do seu ego
Meninos as vezes esquecem que também são meninas
Meninos as vezes pensam que são homens

Pobres meninos

Pensam que sabem enganar,
Damos a roda, mas eles não conseguem nos dirigir
Somos como caminhões desgovernados
Sabemos que estamos indo em alta velocidade
Mas não sabemos como, nem onde parar

Será que vai conseguir acompanhar?
Tente entrar no ritmo

Pra eles é mais fácil que se sentem e sorriam
Pisem no acelerador, sigam em frente
Não fiquem caladas porque são mulheres

Meninos tão preocupados com a massagem do seu ego
Meninos as vezes esquecem que também são meninas
Meninos as vezes pensam que são homens

Meninos acham que meninas devem ser vistas
Não ouvidas
E eu que falo posso ser novamente a vagaba
Mas não vou parar de dizer o que penso

Não podem nos controlar
O menino ganha toda a glória quanto mais ele puder faturar
Enquanto a mulher que faz o mesmo é chamada de prostituta

Eu tenho que continuar em frente

Falta de caráter é exalada pelos dois sexos
E isso, pra mim, é o certo
Vamos virar a mesa

Pobres meninos
Nunca serão homens

quinta-feira, 8 de outubro de 2009




Pouco me importa se tá na moda citar ou falar sobre Clarisse Lispector, eis um texto que me identifico. BOBA SIM, BURRA NUNCA :) Leia e reflita.



Das Vantagens de Ser Bobo

O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir, tocar no mundo.
O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde: "Estou fazendo, estou pensando”.
Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia.
O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas.
O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver.
O bobo parece nunca ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoievski.
Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer.
Resultado: não funciona.
Chamado um técnico, a opinião deste era que o aparelho estava tão estragado que o concerto seria caríssimo: mais vale comprar outro.
Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e, portanto estar tranqüilo.
Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu.
Aviso: não confundir bobos com burros.
Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê. César terminou dizendo a célebre frase: "Até tu, Brutus?"
Bobo não reclama. Em compensação, como exclama!
Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu.
Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz.
O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos.
Os espertos ganham dos outros. Em compensação, os bobos ganham a vida. Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás, não se importam que saibam que eles sabem.
Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil). Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas!
Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas.
É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca.
É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.