segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Ela era real

Se sentia como princesa
Protegida de todos os perigos das ruas no alto da sua torre
Ela tinha medo do que os garotos poderiam te fazer
Poderiam destruir seu nobre coração, tirar a sua inocência
Um dia ela decidiu dá um passo a mais e saiu da sua gaiola e do seu mundo cor-de-rosa
Saiu e enfim despedaçou seu coração, porém aprendeu que nada é em vão
No fundo era isso que ela queria
Uma emoção, mesmo que fosse uma decepção
Uma mudança pra se sentir mais viva
O que é a vida com regras e gentilezas, mas só com sutilezas?

A garota sai a noite, agora com sua inocência perdida, seus olhos latentes e vermelhos
Se misturando com o preto do lápis e com o colorido de suas pupilas dilatadas
Vidradas por uma explosão de cores

Ela apenas queria mais
Mais que bons amigos
Ela queria ser ela mesma
Ela queria entender porque não se pode colar o que se partiu
Ela tinha medo
Ela queria os corações de garotas e garotos transparentes como seu sorriso

Ela já não se importava se doía
Quando a dor era intensa, se anestesiava

Com suas amigas, ela só queria se divertir
O tempo a embelezou mas
Ela não buscava abraços e beijos vazios
Ela apenas buscava emoções para sentir seu sangue correndo pelas veias
Não importa se ruim, ela era boa no que fazia
Ela não era apenas um rosto bonito
Por dentro ela era muito mais que outros olhos enxergavam
Nunca ligue pro que ela diz, ela diz coisas sem sentido

Ela era uma contradição
Ela tinha medo dela mesma
Ela era real e mais uma vez partiu sem dizer tchau e sem olhar para trás

Um comentário: